NOTICIAS Contagem

Contagem começa campanha contra o cerol, linha que mata motociclistas

Os ciclistas e motociclistas de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, receberão, a partir de hoje (segunda-feira 18) antenas de proteção às linhas de cerol e chilena. São ações que fazem parte da campanha Motociclista Antenado 2022 e têm como objetivo incentivar medidas de proteção que podem salvar vidas de motociclistas e ciclistas.

A ação da Autarquia Municipal de Trânsito e Transportes de Contagem (TransCon), acontecerá nas nove regionais do município até o dia 29 de julho, através de blitz. A Gerente de Educação para o Trânsito da TransCon, Fernanda Fajardo, comentou sobre a importância das atividades. “A ação é importante porque a gente atua na prevenção dos acidentes de forma direta, com os motociclistas e ciclistas saindo protegidos das nossas blitzes com a instalação das antenas. Não é só um bate-papo, mas uma orientação e uma distribuição de material”.

A expectativa é de que aproximadamente 100 motociclistas e ciclistas passem diariamente pelas ações em cada regional. O uso de antena corta-pipa é obrigatório para motociclistas, de acordo com o Artigo 139 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Ela protege a região do tórax e do pescoço – onde fica localizada a aorta, principal veia do corpo humano. A não utilização desse equipamento pode colocar em risco a vida de quem pilota, pois o deixa vulnerável a ser atingido pelas linhas cortantes. De acordo com o Hospital João XXIII, em 2021 foram atendidos 26 casos graves de cortes causados por cerol ou linhas similares.

Os perigos do cerol e linhas cortantes

De acordo com o site Cerol Não, o cerol é uma mistura criminosa de cola de madeira com vidro moído que é passado nas linhas das pipas com a intenção de cortar a linha das pipas de outros empinadores. Outra variação perigosa é o uso de pó de ferro, que tem o agravante, pois pode conduzir eletricidade caso a linha toque nos fios de alta tensão, gerando choques elétricos.
A mistura feita de cola e vidro moído possui uma grande capacidade de corte que pode provocar ferimentos profundos que são potencialmente mortais se atingirem a região do pescoço ou que podem deixar sequelas em suas vítimas.
De acordo com a Lei estadual 23.515, quem for flagrado vendendo linhas cortantes pode ser multado no valor de aproximadamente R$ 4.770,30 e, em casos de reincidência, o valor pode chegar a pouco mais de R$ 238 mil. Caso o uso da linha cause dano a alguma pessoa ou a patrimônio público, a multa é aplicada no limite máximo (R$ 238 mil) e não exime o infrator das responsabilidades civil e penal cabíveis. Caso um menor de idade seja apreendido com o uso de cerol ou linhas similares, os pais ou responsáveis são notificados da autuação e o caso é comunicado ao Conselho Tutelar.

Confira as datas e locais em que as ações serão realizadas:

• 18 de julho: Av. João GOmes Cardoso, sentido bairro Cabral, próximo à Praça do Divino Jd. Laguna
• 19 de julho: Av. Retiro dos Imigrantes com Av. dos Retirantes
• 20 de julho: Av. Francisco Firmo de Matos
• 21 de julho: Av. João César de Oliveira, 5555

• 22 de julho:

COMPARTILHE

Sobre o Autor

Miltinho

Gerador de Conteúdo e desenvolvedor Web e Programador Worpress - nível Técnico COTEMIG - BH - A mais de 25 anos experiencia com internet bem como professor d ferramentas para web designer e programação.

Comentar

Click here to post a comment

ARQUIVO DE PUBLICAÇÃO

agosto 2022
S T Q Q S S D
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031